Frango cremoso

O frango cremoso é uma receita inesperadamente fácil, principalmente por ser rápido de fazer e que deixa todo mundo satisfeito e feliz.

Ingredientes

  • 2 peitos de frango sem osso;
  • 1 caixa de creme de leite;
  • 100 ml de leite;
  • 3 colheres de amido de milho;
  • 1 dente de alho;
  • Sal, pimenta do reino e páprica picante a vontade.

Como preparar

Corte o frango em cubos grosseiros. Pique o alho bem pequeno ou utilize alho em pasta, se preferir. Tempere o frango com sal, pimenta, páprica picante e o alho. Misture bem tudo, até todos os pedaços pegarem o tempero.

Leve o frango ao fogo médio, mexendo algumas vezes, até todos os pedaços estiverem brancos e formar um caldo no fundo da panela. Baixe o fogo e deixe a panela tampada enquanto prepara a próxima etapa.

Coloque o leite em um copo ou outro recipiente, adicione as 3 colheres de amido de milho e misture bem. Adicione ao frango e mexa até incorporar bem ao caldo do fundo. Em seguida coloque o creme de leite e mexa bem até o frango estar cremoso e o molho denso.

Uma boa pedida é combinar com um arroz bem soltinho e talvez provavelmente uma batata palha ou um purê de batata. Deixe o completo com a sua imaginação.

Farofa de bacon suculenta

A farofa de bacon suculenta é feita com muito amor. Farofa combina com várias refeições e eu gosto muito de comer com um feijão ou uma carne saborosa.

Essa receita é mais suave e não vai tanto óleo. No final deixo um segredinho de como deixar ela molhadinha sem usar óleo.

O que precisa:

250 gramas de farinha de mandioca;

200 gramas de bacon picado;

2 colheres de sopa de óleo;

Lata de milho;

1 cenoura, 1 cebola pequena e 1 tomate;

1 dente de alho picado;

Cheiro verde, sal e pimenta a gosto.

Como fazer:

Frite o bacon picado até deixar ele bem dourado.

Na sequencia frite o alho e adicione a cebola picada, o tomate picado sem semente, o conteúdo da lata de milho e a cenoura ralada.

Mantenha no fogo até secar bem. Por fim, coloque a farinha de mandioca, misture bem e desligue o fogo.

Para ter uma farofa molhadinha, deixe a panela tampada após desligar o fogo. O calor interno vai manter a umidade e deixar uma farofa úmida e muito saborosa.

Adicione o cheiro verde e salsinha e sua farofa de bacon suculenta está pronta. Depois que esfriar, você pode manter na geladeira por até uma semana.

Pimenta da braba

Pimenta da braba é algo que realça sabores na comida e também ajuda a esconder o gosto ruim de outros pratos.

Preparar uma boa pimenta requer um pouco de cuidado, pois a ardência se espalha entre os utensílios, nas mãos e onde mais a pimenta tocar. Tenha um copo de leite por perto.

Eu escolho a pimenta malaqueta por conta do preço e por sua facilidade de encontrar aqui onde moro.

O que precisa:
  • 1 dente de alho;
  • 200 g de pimenta malagueta;
  • Gengibre (do tamanho do dente de alho);
  • 1 colherinha de pimenta calabresa;
  • Azeite de oliva (uso aquele misto de latinha, bem mais em conta);
  • Vinagre;
  • 1 colher de açúcar.
Como preparar:

Primeiramente vamos lidar com tudo que não tenha pimenta.

Pique o alho e o gengibre. Coloque em um potinho, com três colheres de azeite e uma colher de vinagre, adicione a pimenta calabresa e reserve.

Pegue 3 pimentas e corte ela em tiras. Caso queira diminuir a ardência, retire as sementinhas. Adicione as tiras de pimenta com o marinado de alho e gengibre. Cubra com mais azeite e deixe descansando de 2 a 12 horas.

Em uma garrafa ou num vidro de conserva, esse vai ser o recipiente final, coloque metade das pimentas inteiras. Corte a outra metade das pimentas em 4 partes e coloque no recipiente.

Com cuidado (caso esteja fazendo em uma garrafa, utilize um funil), adicione o açúcar e todo o conteúdo do marinado. Aos poucos, vá intercalando o azeite e dando batidas leves no recipiente, para não terem espaços vazios.

Finalizando o processo do azeite, cubra o restante com vinagre. Tampe bem e chacoalhe o recipiente para misturar o azeite e o vinagre.

Condicione por 2 a 3 dias em um lugar sem luz. Utilize conforme o seu gosto  e lembre que essa pimenta é da braba!

Arroz de Hauçá

O Arroz de Hauçá é típico da cultura dos hauçá, um povo sael africano ocidental, com maioria no norte da Nigéria e sudoeste de Níger. Difundido no Brasil pelos Malês (professor, mestre; Na língua hauça), que foram comerciantes e artesãos que se estabeleceram na Bahia no século XIX.

O prato é preparado com arroz cozido com bastante água e sem sal, para ficar desmanchando. Não vai apenas charque, como camarão também, uma combinação bastante peculiar, mas que agrada os paladares nordestinos.

Ingredientes
  • 100 gramas de arroz pré cozido (só com água, sem sal)
  • 200 ml de leite de coco
  • 100 gramas de charque
  • 50 gramas de camarão
  • 1 cebola
  • 1 dente de alho
  • Azeite de dendê a gosto
  • 1 Pimenta malagueta ou dedo de moça

 

Modo de preparo

Em uma panela, adicione o arroz cozido e coloque o leite de coco. Deixe em fogo baixo até secar o leite de coco, reserve. Corte metade da cebola em tiras, pique o alho e refogue com o charque, deixando secar bem até ficar frito e crocante.

Em outra panela coloque a outra metade da cebola e refogue com o camarão no azeite de dendê. Coloque a pimenta em tiras e deixe dourar.

Coloque o arroz no centro e deixe um buraco. Insira o camarão no centro e o charque em volta. Acrescente molho de pimenta a gosto para dar mais sabor.

Succotash

Succotash é feito com milho e feijão. Um prato originário dos nativo Norte-americanos e popularizado no sul dos Estados Unidos. O nome vem da língua Naragansett e significa Espiga de milho cozida. É servido como guarnição junto a carnes de porco e frango.

Seu preparo é relativamente simples e bastante saboroso.

Ingredientes
  • 1 Espiga de milho
  • 1 xícara de feijão
  • Cebola
  • 2 dentes de alho
  • Abobrinha
  • Tomate
  • Pimentão verde
  • Pimenta dedo de moça ou jalapeño (para quem pode com pimenta)
  • Manjerona, tomilho, sálvia e sal a gosto.

 

Modo de preparo

Corte a cebola em pedaços pequenos, refogue em uma panela. Adicione em seguida o alho picado e logo após a abobrinha e o pimentão, picados. Deixe ganhar gosto e então acrescente o tomate em tiras. Tire os milhos da espiga e acrescente junto do feijão, salgue e deixe cozer em fogo baixo, até amolecer o milho e o feijão. Por fim acrescente a manjerona, o tomilho e a sálvia.

Você pode comer somente o Succotash ou acompanhar com uma costelinha de porco ou um frango frito.

Panqueca sem leite

Essa receita de panqueca eu peguei em algum site. Achei muito boa, uma vez que posso fazer ela sem precisar ter leite em casa.

Eu gosto de colocar um pouco de criatividade na cozinha. Surpreendentemente, parece que só estou misturando ingredientes.

Eu vejo uma receita e sempre tento fazer ela ficar mais gostosa pro meu gosto.

Ingredientes
  • 1 copo americano e meio (300 ml) de farinha de trigo;
  • 2 colheres de sopa de óleo vegetal ou azeite;
  • 2 ovos;
  • 1 colherinha de sal, 1 colherinha de pimenta do reino, 1 colherinha de páprica defumada;
  • 2 copos americanos (400 ml) de água.
Modo de preparar

No liquidificador, colocar os ingredientes secos (farinha, pimenta do reino, sal e páprica). Logo depois adicione os ovos e as colheradas de óleo.  Por fim coloque os copos de água e bata até formar uma massa liquida e homogênea.

Unte uma frigideira com manteiga ou óleo e esquente bem. Com uma concha adicione uma pequena quantidade da massa e distribua igualmente por toda a frigideira. Vire quando dourar um dos lados e repita o processo igualmente.

Essa quantidade de massa deu aproximadamente 12 panquecas.

Como recheio eu fiz com queijo e goiabada.

Apenas indiferenças

Após uma longa espera, seus olhos novamente se cruzaram.

Não havia tristeza, medo ou um passado brilhando, apenas esperança. Olhos que há muito tempo não se viam. Podemos culpar aqui o descaso do amor que vem rebatendo e explodindo e apenas afetando o intimo.

Era um casal jovem, ela tinha um ano de diferença e ele tinha apenas indiferença a essas questões.

Ela pretendia ser a mais grandiosa estrela no seu universo particular, ser uma profissional com status de melhor e corria atrás de tudo sem se importar com o que estava ao seu redor, ou quem ela precisaria pisar para conseguir atingir seus objetivos.

Seus olhos eram um misto de castanho com o brilho de esmeraldas, cabelo comprido que tocava seus quadris e incentivava todos os que a olhavam a querer tocar seus lábios e a deixar morrer em seus braços.

Ele era um ser repleto de tentativas bem sucedidas na vida, mas que por pura falta de motivação ou perca de interesse desistia de tudo para recomeçar de novo.

Desistia da vida como quem desiste de escolher um prato num cardápio, mas sempre estava pronto para se desesperar, errar e aprender. Não tinha família, tinha poucos amigos, era um sociopata sem ambição de abraçar o mundo.

A história que conto agora não é necessariamente uma história de amor e muito menos uma história sobre o amor, é uma história de dor.

Aos poucos dias de um mês de abril, quente e barulhento, os lábios dos dois amantes se tocaram e começaram a perpetuar uma pequena aventura particular nesse cosmo infinito em que vivemos. Era para ser apenas um caso rápido, um encontro entre corpos, mas por insistência da parte masculina acabou virando um relacionamento.

Foi doloroso, sim, muito doloroso. Mas quando apenas uma pessoa sente amor e a outra quer se divertir não podemos ter uma construção formidável do que é o amor.

O erro que ele cometeu foi ter se prendido, a um ponto que a cada degrau que subia, menor era sua percepção do resultado que teria ao encontrar o solo numa súbita e repentina queda. Ele aprendeu com a queda.

O maior erro que ela cometeu foi ter se deixado embalar, por promessas de um canalha sem pudor. Flores, danças, viagens e presentes maravilhosos, dentre outras coisas que apenas uma pessoa sem escrúpulos e sem palavra pode prometer.

Mas, no fundo, o que podemos esperar de duas pessoas que não tem compatibilidade, interesses comuns ou outras coisas afins para dividir entre si?